Servindo a Outros Q-Players: Francisco Mello, CEO

 
Francisco Mello, CEO da Qulture.Rocks
 

Começou na Qulture: Abril de 2015

Primeiro papel: Fundador

Papel atual: CEO


Conte o que você faz na Qulture.Rocks

Nós acreditamos aqui na Qulture que pra que possamos realizar nossa missão, de ajudar a gerar crescimento em pessoas e empresas através de culturas incríveis, nosso melhor produto tem que ser a própria Qulture.Rocks. Uma empresa incrível, cheia de gente apaixonada, animada, remando na mesma direção, vai invariavelmente fazer produtos e serviços incríveis e agradar muito aos seus clientes. Eu, como CEO da empresa, tenho como responsabilidade fazer de tudo pra que a empresa seja incrível, atraia as pessoas certas, as desenvolva, etc. Então tento gastar o grosso do meu tempo dando a todos os recursos, direcionamento e ajuda pra que juntos façamos da Qulture uma empresa incrível.

Conte alguns highlights da sua história junto da Qulture.Rocks

Tenho muita sorte de ter acompanhado cada passo da empresa. Acho que nossa primeira venda foi um marco importante. Lembro até hoje. Liguei pra minha mãe pra contar que tínhamos fechado um contrato. Ela ficou pasma com o valor, achou que era muito pouco. Mas foi o primeiro e significou muito pra gente. Nossa mudança pro Cubo também foi muito bacana: até então trabalhávamos de maneira remota, e termos um lugar pra ir todo dia foi muito bacana.

Mas o maior impacto que eu tive na Qulture, sem dúvida, foi ter trazido as pessoas que eu trouxe pro time, que por sua vez trouxeram outras pessoas incríveis e que hoje formam esse time maravilhoso. E tomar conta dessas pessoas, dando a elas desafios compatíveis com seu esforço e vontade de crescer é o maior impacto que eu posso ter na empresa.

Qual sua história de vida? Por onde já passou?

Sou de Campinas, São Paulo, onde vivi até começar a faculdade de administração de empresas na FGV. Fui trainee de um banco de investimentos chamado Itaú BBA, depois me juntei a uma firma de investimentos chamada BTG, que comprou o Banco UBS Pactual, virando BTG Pactual. Fiquei lá de 2008 até 2014. Saí pra empreender, passando rapidamente pela Nubank, onde aprendi um pouco sobre tecnologia e o jeito do Vale do Silício de se construir grandes empresas. Depois disso fundei a Qulture.Rocks, e sinceramente não me vejo fazendo outra coisa até o fim da minha carreira :) 

No tempo livre gosto muito de ler e ficar com minha mulher, Dani, e nossas "filhas", Eureka e Eugênia, uma Whippet e uma Jack Russel, respectivamente.

Conte alguma grande conquista da sua vida? Alguma coisa distintiva que você já fez?

Acho que a Qulture.Rocks é o que eu fiz de mais bacana na minha vida. Mas as pessoas tendem a ficar muito mais impressionadas com o fato de eu ter terminado um Ironman (em 2013) e alguns meios Ironmans. Foi uma conquista muito bacana, da qual tenho muito orgulho!

Como você descreveria a cultura da Qulture.Rocks?

A cultura da Qulture.Rocks? Acho que tem alguns aspectos distintivos… Sem dúvida nos divertimos muito no escritório. Somos muito sarristas e informais. Nem parece uma empresa hahahaha. Acho que a gente é sempre muito orientado pro valor que a gente gera pro nosso cliente. É uma coisa que eu tento fazer entrar na cabeça da turma, sempre. Tudo o que a gente faz tem que gerar valor pro nosso cliente final, e pensar como maximizar nosso impacto é muito importante. Acho que também temos muito forte essa coisa de trabalhar com paixão. Eu tenho muita sorte de fazer o que eu gosto, e essa jornada me fez muito feliz, trabalhando bastante e com alegria, com excelência, etc. Então sem dúvida queremos gente apaixonada, com brilho nos olhos, compartilhando o sonho com a gente.