Cultura "real" e cultura "imaginada"

Cultura "real" e cultura "imaginada"

O que são cultura implícita e cultura explícita de uma empresa? Cultura implícita é a cultura como ela é. Cultura explícita é a cultura como nos referimos a ela, ou como queremos que ela seja. Sempre há uma lacuna entre as duas. A cultura explícita pode ser uma grande ajuda na construção, reforço ou mudança de uma cultura implícita. Mas isso não quer dizer, de maneira nenhuma, que são a mesma coisa.

Dicas para a Integração de Novos Colaboradores: Maximizando a Produtividade e a Rampa de Aprendizado

Uma nova cultura empresarial, processos e tecnologias distintos, novos colegas de trabalho. Para novos colaboradores, adaptar-se às realidades de um novo emprego pode ser um processo bastante assustador. Nesse artigo, discutimos boas práticas de integração - onboarding - de novos funcionários.

Talent Science: Tendências de Gestão de Performance

Apresentação realizada na Qulture.Con 2017 sobre o que a Qulture.Rocks vê como tendências sem volta nos temas de cultura, gestão de performance e feedbacks.

Por que mais RHs deveriam fazer gente e gestão

Neste artigo falamos sobre a origem do termo "gente e gestão", e por que mais áreas de RH deveriam atuar na gestão: dar ferramentas e práticas para que seus gestores façam seu trabalho bem: gerir pessoas.

Nova Feature: PDI no Qulture.Rocks

O PDI (plano de desenvolvimento individual) é a mais nova feature da plataforma Qulture.Rocks. Nesse artigo falamos sobre por que investimos nos PDIs, um pouco da teoria por trás deles, como resolvemos esse problema e o que vêm pela frente em termos de roadmap do produto.

Para Treinar Seus Colaboradores, Comece com o Porquê

O RH insiste em pensar nos mais variados penduricalhos na esperança de que eles façam colaboradores terem melhor adesão aos processos de gestão de performance. Nesse artigo discutimos a importância de se "começar pelo porque" (conceito explicado em uma famosa TED Talk feita por Simon Sinek) nos treinamentos sobre gestão de performance.

RH Não Faz Milagre: A Falta de Comprometimento dos CEOs com Gestão de Performance

Neste artigo discutimos como alguns CEOs delegam o indelegável: o papel necessário que têm como protagonistas e embaixadores da cultura de suas empresas, que se traduz em práticas como gestão de performance e contratações.

Como calcular o custo do turnover na sua empresa

Neste artigo discutimos como calcular o turnover da sua empresa, além de definir o problema e discutir algumas das suas causas e consequências principais.

Qulture.Weekly | 16 de Março | Artigos Sugeridos

Resumo dos assuntos discutidos e links divididos pela Qulture.Rocks na Qulture.Weekly do dia 16 de Março de 2017.

O que o Uber pode te "ensinar" sobre a gestão de performance da sua empresa?

Esse artigo discute o que o mecanismo de avaliação de motoristas do Uber pode ensinar ao RH e aos CEOs sobre a gestão de performance dos seus funcionários.

O Que Podemos Aprender Com o UBER?

Neste artigo, discutimos alguns aprendizados que podemos ter da crise de imagem que afetou a marca empregadora do Uber, startup Americana de mobilidade urbana, após vários relatos de funcionárias e ex-funcionárias da empresa sobre assédio sexual, desigualdade de gêneros e falta de preparo gerencial no trabalho.

A Goldman Sachs adota o feedback ongoing

A Goldman Sachs, tradicional banco de investimentos baseado em Nova York, nos EUA, vem aderindo a diversas práticas modernas de gestão de pessoas. Entre elas, uma conta de Snapchat pra atração de talentos, um aplicativo interno de elogios e reconhecimento, nos moldes do Twitter, e mais recentemente, em Novembro, o roll out global de uma ferramenta de feedback ongoing, muito similar à da Qulture.Rocks, onde cada profissional pode solicitar feedbacks de seus colegas, subordinados e pares, bem como enviar feedbacks livres.

O novo papel do business partner

Nesse artigo discutimos a evolução do papel do business partner de RH na realidade atual de gestão de performance: menos estrutura e burocracia e mais foco no desenvolvimento dos funcionários. O BP deixa de ser um bedéu de escola, e passa a ser um coach e "trusted advisor".