O turnover é um dos principais indicadores analisados pela área de recursos humanos de uma empresa — e apresenta o fluxo de entradas e saídas dos colaboradores na organização. Esse índice também é conhecido como rotatividade de pessoal e considera a relação entre admissões e desligamentos no negócio.

Por isso, um índice de turnover elevado pode ser muito prejudicial ao negócio e deve ser monitorado com atenção pelo RH. Quando a rotatividade está elevada, é sinal de que os talentos estão saindo do negócio ou, ainda, que as contratações não têm fit cultural com a organização.

Mas você sabe qual é o índice de turnover no Brasil? Confira o conteúdo e conheça os principais dados sobre o turnover no Brasil e seus efeitos!

Dados do turnover no Brasil

O Novo Caged é o sistema de divulgação de informações sobre emprego formal do governo federal. Por meio dele, é possível acompanhar as admissões e desligamentos por período, setor e região. Confira agora os principais dados sobre a rotatividade no Brasil nos últimos anos!

O impacto da pandemia

Segundo os dados do Novo Caged, o saldo entre admissões e desligamentos no Brasil em 2020 foi negativo. Os desligamentos totalizaram 15,8 milhões, superando as 15,6 milhões de admissões e gerando um saldo negativo de -193.263. 

Se para uma empresa o índice de rotatividade elevado é prejudicial, para a economia do país não poderia ser diferente. O resultado negativo de 2020 foi um reflexo do cenário de incerteza macroeconômica com a pandemia da Covid-19. Abril foi o pior mês daquele ano, com mais de 1,6 milhões de desligamentos no país e um saldo negativo de -981 mil.

A pandemia também impactou o turnover de diversas empresas que tiveram de realizar desligamentos que não estavam planejados para conter os custos naquele período de incerteza. Os setores do comércio e de serviços foram os mais prejudicados, acumulando um saldo anual negativo de -66 mil e -312 mil, respectivamente.

Isso demonstra que, apesar dos esforços realizados internamente pela área de RH e pelas lideranças da empresa serem muito importantes para a retenção dos talentos, o cenário econômico pode ser determinante para o índice de turnover.

Recuperação econômica

Em 2021, a relação entre admissões e desligamentos no Brasil foi positiva, com um total de 20,8 milhões de admissões e 18,1 milhões de desligamentos. Apesar do resultado positivo, o total de demissões superou o resultado do ano anterior, indicando um aumento da rotatividade no mercado de trabalho. 

O setor de serviços foi o que mais contratou, com mais de 9,3 milhões de admissões e um saldo positivo de 1,2 milhões. A retomada do crescimento econômico com a ampliação da vacinação para a Covid-19 foi decisiva para os resultados do setor.

Mas a retomada da economia não é suficiente para que as empresas fiquem despreocupadas com seus índices de turnover. Há uma série de fatores internos tão importantes quanto o cenário econômico que podem prejudicar o turnover em uma organização. Dentre eles, podemos destacar:

  • ausência de uma cultura organizacional sólida;
  • excesso de trabalho para os colaboradores;
  • salários abaixo dos valores do mercado;
  • ausência de feedbacks dos líderes;
  • um ambiente de trabalho negativo.

Turnover nas empresas brasileiras

Segundo dados do DIEESE (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), a rotatividade no Brasil em 2015 foi de 54,8%. Dentre as principais causas de desligamento, destaca-se a “demissão sem justa causa” realizada por iniciativa do empregador, ou seja, quando a empresa decide desligar o profissional.

As demissões sem justa causa representaram 51,9% dos desligamentos de 2015, indicando a falta de alinhamento entre as empresas e seus colaboradores. Isso fica ainda mais evidente quando observamos o total de desligamentos entre os profissionais admitidos naquele ano. Dos 21,8 milhões de profissionais contratados em 2015, 8,8 milhões foram demitidos no mesmo ano.

Apesar dos dados não refletirem a queda das admissões e desligamentos devido à recessão econômica a partir de 2015, é possível notar uma tendência de rotatividade elevada no mercado de trabalho brasileiro, o que indica que o turnover representa um desafio para as empresas do país. 

Ainda segundo dados de 2017 da FecomercioSP, o comércio apresentava a taxa de rotatividade mais alta entre os setores da economia por ser mais suscetível às oscilações da economia. Além disso, como os custos com o turnover não podem ser repassados para os preços, impactam diretamente a lucratividade e representam um risco para as empresas.

Por que as empresas devem se preocupar com o turnover?

Um dos principais problemas que o turnover elevado gera para as empresas são os custos com o desligamento dos colaboradores e a contratação de novos profissionais. Além de indicar que as estratégias e práticas de retenção de talentos da organização não estão funcionando, o turnover alto também gera:

  • custos com o desligamento dos funcionários (multa por desligamento, décimo terceiro e férias proporcionais, etc);
  • custos com recrutamento e seleção para preenchimento das vagas (plataformas de vagas, tempo destinado pela equipe no processo, etc);
  • custos para a adaptação das pessoas contratadas (tempo destinado pela equipe nos treinamentos, onboarding, etc).

Neste conteúdo, você pôde conhecer os principais dados sobre o índice de turnover no Brasil e como eles impactam as empresas. Como vimos, a rotatividade no país ainda é elevada e representa um grande desafio para as empresas, pois indica a dificuldade de retenção dos talentos e gera custos para as organizações.

Se você quiser saber mais sobre o índice de turnover e entender como calculá-lo em seu negócio, continue no blog e confira o conteúdo completo que produzimos sobre como realizar o cálculo de turnover com precisão na empresa.

https://qulture.rocks/blog/turnover/

https://qulture.rocks/blog/tipos-de-turnover/