De forma geral, educação corporativa é uma estratégia desenvolvida pelo time de gestão de pessoas para aprimorar competências e habilidades da equipe como um todo, de modo que contribua para o desenvolvimento do time e, consequentemente, para o desenvolvimento da empresa.

Para implementar uma ação como essa na empresa, é preciso inicialmente fazer o Levantamento das Necessidades de Treinamento, além de incorporar boas práticas de gestão de desempenho como apoiadoras desse contexto. Por meio da Avaliação de Desempenho, por exemplo, você consegue identificar alguns dos principais pontos de desenvolvimento das equipes e estruturar um programa de educação corporativa.

Neste material, a gente explica tudo sobre o assunto. Confira!

O que é educação corporativa?

De forma geral, educação corporativa é uma estratégia desenvolvida pelo time de gestão de pessoas para aprimorar competências e habilidades da equipe como um todo, de modo que contribua para o desenvolvimento do time e, consequentemente, para o desenvolvimento da empresa.

Dentro de uma organização é possível encontrar diversos cargos, com diferentes níveis de aprendizagem, correto? As funções variam entre operação, logística, administração e atendimento, por exemplo. Para que os profissionais dessas áreas atuem cada vez melhor e tragam mais resultados positivos é importante investir na educação corporativa.

Esse termo remete às práticas de atualizar e apresentar novos conhecimentos aos colaboradores de uma empresa, de forma que eles otimizem ou até mesmo desenvolvam novas habilidades. Quanto mais qualificado uma pessoa estiver, maiores são as chances de o negócio desenvolver um projeto de excelência e agradar o mercado.

Mas investir nessa aprendizagem não é uma missão fácil. A empresa precisa separar times que trabalham com soluções educacionais corporativas, com base em estratégias e recursos que ajudam nessa aprendizagem. As equipes de T&D e RH são as responsáveis pela criação de materiais ricos, que ajudam nesse desenvolvimento.

Por isso, as soluções educacionais corporativas precisam entender não somente quais são as lacunas de habilidades dos funcionários da empresa, mas também ser formada por um time completo, que realmente saiba desenvolver a verdadeira aprendizagem dentro do ambiente de trabalho.

Relação com desempenho

Além disso, é essencial que haja uma relação entre a educação corporativa com o desenvolvimento da pessoa colaboradora. Entenda: suponhamos que, durante a elaboração de um Plano de Desenvolvimento Individual, foi percebido que era preciso desenvolver a habilidade de liderança de um(a) profissional.

Nesse sentido, a liderança tem como desafio associar as práticas de educação corporativa com os planos de ação do PDI, de modo que esse(a) colaborador alcance o objetivo de sua carreira (que seja alinhado ao objetivo da empresa).

Você também pode gostar destes conteúdos:

👉 Qual a relação entre gestão de desempenho e learning?

👉 Qual a relação entre Avaliação de Desempenho e learning?

👉 Qual a relação entre learning e PDI? Entenda!

Por que investir em treinamento e desenvolvimento?

A educação corporativa não é nada sem a ajuda do treinamento e desenvolvimento (T&D). Essa é uma área que busca aplicar estratégias de ensino dentro das empresas à procura de melhores resultados nas habilidades dos colaboradores.

Os profissionais que trabalham com T&D estudam metodologias, métodos e recursos que ajudam na aprendizagem de profissionais. Nenhum conteúdo é aplicado sem antes passar por uma análise e sem se basear em uma estratégia com precedentes no mercado.

Diferenciais da educação corporativa aliada ao treinamento & desenvolvimento

Mas quais são os diferenciais de investir em educação corporativa aliada ao treinamento & desenvolvimento? De acordo com um estudo realizado pela Association for Talent Development (ATD), empresas que investem em treinamentos personalizados para as demandas de seus(as) profissionais usufruem de uma melhora de até 218% na produtividade.

Para que esse ganho seja obtido pela organização, é importante que haja um Levantamento das Necessidades de Treinamento, também conhecido como LNT. Ele pode ser feito por meio da Avaliação de Desempenho, do PDI (como mencionamos), por pesquisa de clima organizacional, entre outros tópicos.

Segundo o mesmo levantamento, empresas conseguem identificar até 24% da margem de crescimento de suas receitas quando comparadas com aquelas que precisaram interromper ou reduzir seus investimentos no desenvolvimento das equipes.

Outro ponto de destaque está relacionado ao fato de que as empresas levam menos tempo para preparar um talento do que para encontrá-lo no mercado. Segundo uma pesquisa feita pela Randstad, 75% das organizações corroboram com a ideia, afirmando que o tempo gasto para encontrar uma pessoa capacitada é relativamente maior.

Educação corporativa: quais são as soluções existentes no mercado?

Como vimos, a realização de treinamentos ajuda os colaboradores a se desenvolverem profissionalmente, mas também reflete na qualidade de serviço entregue pela empresa. Quanto maior for a performance desse profissional, melhores serão os projetos entregues por eles.

Com os diferentes perfis colaboradores que existem dentro de um mesmo espaço de trabalho, a equipe de T&D e de RH deve aplicar diferentes soluções educacionais corporativas para analisar qual traz mais resultados para o negócio e entender quais das estratégias não foram tão boas para a sua realidade.

Para isso, selecionamos aqui algumas soluções em educação corporativa!

Mentoria

O time de gestão de pessoas pode criar programas de mentoria para ajudar no desenvolvimento das equipes. Esses são profissionais que já possuem uma bagagem bastante interessante no mercado e que carregam experiências valiosas sobre o cargo que atuam.

Para selecionar um bom mentor, os responsáveis pelo treinamento precisam colocar na lista o tempo de experiência do profissional, além de lugares onde ele trabalhou e situações que ele soube contornar com sucesso.

Essa é uma maneira eficaz de colocar uma pessoa especializada em uma área para analisar os grupos que trabalham com o mesmo cargo ou ramo. Com essa “voz da experiência”, é mais fácil encontrar os erros cometidos durante o desempenho das atividades e também os acertos. Além de oferecer vários insights para a equipe.

Mobile learning

O mobile learning faz parte das soluções educacionais corporativas porque permite que diferentes dispositivos sejam usados para acompanhar aulas e materiais de treinamento on-line.

Essa modalidade virtual e a distância ajuda em muitos pontos, como flexibilidade, capilaridade e adoção de recursos mais atuais. Os treinamentos aplicados por meio de plataformas digitais permitem que uma quantidade maior de alunos acompanhem o conteúdo, além de ajudar quem tenha problemas com logística e não pode sempre acompanhar presencialmente.

Outra questão é o uso de ferramentas tecnológicas. O time que investe nessa estratégia está apostando no engajamento do colaborador, já que a modalidade foge do convencional e entrega recursos que ajudam no dinamismo da aula e no interesse pelo conteúdo.

E investir em engajamento deve ser uma preocupação da equipe. De acordo com um estudo realizado pela Gallup, hoje, apenas 27% das pessoas colaboradoras são ativamente engajadas, enquanto 15% são ativamente desengajadas. Ou seja, desestimulam profissionais a exercerem as suas funções.

Realidade virtual

A realidade virtual é uma tecnologia que substitui a realidade real de um colaborador e simula um cenário digital. Isso pode ser feito por meio de diferentes dispositivos, como um computador, um videogame ou até mesmo pelos smartphones. Muitas vezes é utilizado um óculos de realidade virtual (criado com esse intuito) para ajudar nessa projeção.

Durante os treinamentos, o time pode usar esse recurso tecnológico para criar cenários fictícios, em que o colaborador enxerga como se fosse real. Um exemplo disso é a simulação de possíveis problemas que podem acontecer durante a atuação da pessoa colaboradora, colocando-a frente a frente à questão e analisando qual vai ser o comportamento a se tomar naquele momento.

Vídeos

O uso de vídeos também é uma solução bastante interessante para a educação corporativa. Quando o time constrói um material rico, repleto de conteúdos ou até mesmo imagens animadas (como gifs), o treinamento se torna mais leve e descontraído para os colaboradores. Essa prática pode ajudar na concentração de cada profissional e melhorar a curva de aprendizagem de quem está assistindo.

É importante ressaltar que esse vídeo precisa vir bem encaixado com o material para não ser apenas uma ferramenta que não acrescenta em nada.

Whiteboard

Neste momento, muitos recursos usados como soluções educacionais corporativas já existiam há bastante tempo no mercado. Contudo, a ferramenta whiteboard surgiu há menos de 5 anos e vem conquistando cada vez mais o mundo empresarial.

Diferente de sua tradução literal de “quadro branco”, esse recurso foi criado primeiramente pela Microsoft — e serve como uma lousa compartilhada —, onde várias pessoas podem escrever ao mesmo tempo, sem sair de casa. Basta apenas se conectar ao quadro e usar da forma que deseja.

Para os treinamentos corporativos essa é uma opção bastante interessante, já que permite manter a comunicação entre equipes distribuídas mesmo na modalidade EaD. Todos os colaboradores podem participar e conseguem trabalhar juntos mesmo estando longe fisicamente.

Pílulas de conhecimento

A metodologia de pílulas de conhecimento é uma prática de aplicar conteúdos de forma fragmentada para que o colaborador não se sobrecarregue com o mesmo tema e possa digerir as informações aos poucos. Os treinamentos criados com essa metodologia são curtos e apenas apresentam os assuntos mais importantes sobre um conteúdo.

Inclusive, a estratégia de microlearning é composta por diversas pílulas de conhecimento, auxiliando na forma de retenção deste conteúdo.

A intenção é fazer isso de forma contínua, mas em pequenas doses de conhecimento para que o colaborador tenha uma curva de esquecimento menor. Para empresas que identificaram perfis de funcionários que esquecem rapidamente sobre os conteúdos ou que possuem até mesmo pouco tempo para estudo, essa é uma prática indicada.

E-learning

O e-learning é uma das soluções educacionais corporativas mais próximas do mobile learning. Os dois trabalham com ferramentas digitais, que funcionam como aliadas na aprendizagem dos colaboradores de uma empresa.

Contudo, o e-learning funciona com um conteúdo um pouco mais extenso, chegando até mesmo a videoaulas com 10 minutos de duração e com a ajuda de recursos como imagens, áudios ou textos. O mobile learning está mais próximo do microlearning, pois apesar de ser on-line, ele oferece materiais mais curtos para não sobrecarregar o funcionário.

Você também pode gostar destes conteúdos:

👉 Lifelong learning: entenda por que adotar o aprendizado contínuo

👉 Experiência de aprendizagem corporativa: entenda a importância

👉 Aprendizagem adaptativa: entenda a importância para as empresas

Quais são as vantagens do treinamento EaD?

A modalidade EaD existe há bastante tempo no mercado. As universidades já contavam com inúmeros cursos distribuídos pelo Brasil a distância, mas em 2020 houve um crescimento bastante expressivo em outros setores. Isso se deve à transformação digital que se acelerou durante todo o ano, além da tendência de que continue a avançar rapidamente.

Claro, o fator pandemia também contribuiu significativamente para esse cenário, uma vez que grande parte das empresas precisou adotar o trabalho remoto para evitar a disseminação da Covid-19.

A adoção repentina dessa modalidade fez com que as pessoas parassem para pensar sobre quais são os benefícios do EaD e como poderia ajudar principalmente no meio corporativo. Por se tratar de um modelo mais flexível, muitos colaboradores podem agora acompanhar os treinamentos a distância sem se preocupar com questões logísticas.

Mas o ensino a distância vai além disso: ele também traz versatilidade para as empresas, já que os times podem aplicar diferentes recursos durante os treinamentos e usar metodologias variadas durante a apresentação de um conteúdo. Com isso, o funcionário pode desenvolver mais mais opções de estudos e optar pelas ferramentas ou práticas que melhor se encaixam ao seu perfil.

Essa modalidade também ajuda na padronização dos materiais, uma vez que os colaboradores podem praticar os seus conhecimentos e sair do mesmo ponto de partida do que outros profissionais da área. A possibilidade de criar um material mais dinâmico e interativo também é uma vantagem que o treinamento EaD dá às empresas.

Como implementar o treinamento EaD na sua empresa?

Com base nas soluções de educação corporativa que mostramos até aqui, vimos que as empresas buscam recursos e metodologias que ajudem no desenvolvimento dos colaboradores. Esse planejamento é a primeira chave para abrir uma porta do sucesso de um negócio.

Porém, para que o treinamento seja eficiente para a empresa é importante que o time busque não somente metodologias e diferentes recursos tecnológicos para auxiliar nesse processo. Eles devem procurar entender sobre o perfil dos funcionários e algumas outras informações relevantes para criar uma persona da empresa.

Sem esses dados, os responsáveis pelos treinamentos podem criar projetos falhos, que não irão trazer resultados positivos para o negócio.

Para que isso não aconteça, separamos 3 etapas que são fundamentais para o desenvolvimento de qualquer material de ensino corporativo e que os times de T&D devem prestar atenção. Veja quais são:

Identificar as necessidades

O primeiro passo que o T&D deve tomar na hora de criar um treinamento é identificar quais são as necessidades dos colaboradores, principalmente quando elas estão relacionadas à falta de conhecimento de algum assunto importante para a empresa.

Para isso é muito importante que os responsáveis analisem quais são as lacunas de conhecimento dos profissionais, o que eles estão em busca de aprender e o que seria interessante apresentar sobre as atualizações do mercado. Ter essa visão sobre o que os times precisam ajuda a desenvolver materiais direcionados e que darão resultados mais positivos.

Algumas maneiras de identificar a necessidade dos colaboradores são perguntando diretamente o que seria de interesse, analisando a produtividade de cada setor ou avaliando o desempenho dos funcionários durante a atuação. Como abordamos mais acima, estratégias de gestão de desempenho podem auxiliar significativamente nesse cenário.

Entender o público-alvo

De nada adianta criar um treinamento completo se o time não conhece o público-alvo. Sabemos que é difícil montar diferentes materiais aprofundados, já que existem vários setores dentro de uma empresa. Mas é fundamental que os responsáveis pela educação corporativa sejam bem distribuídos e consigam levantar a persona de cada grupo de atuação.

Com essa informação fica mais fácil escolher as soluções educacionais corporativas e ter resultados expressivos na qualificação contínua dos profissionais da empresa.

Escolher as melhores metodologias e ferramentas

Por fim, agora que o T&D já separou uma lista de metodologias e ferramentas de ensino e pontuou as necessidades e o público-alvo, ele pode começar a desenvolver a prática mais indicada para o treinamento e para o grupo que irá apresentar o material.

Com essas informações em mãos é muito mais fácil projetar soluções educacionais corporativas que se encaixem perfeitamente no perfil de cada colaborador. Mesmo que seja necessário testar diferentes metodologias e recursos, o funcionário só tem uma boa experiência de aprendizagem se a empresa conhecer as suas necessidades e tentar supri-las.

Você também pode gostar destes conteúdos:

👉 LNT: Entenda o que é e saiba como elaborar na empresa

👉 Orçamento para treinamento: 5 dicas para não errar em sua empresa

👉 Indicadores de treinamento: conheça os principais

Como utilizar a tecnologia como aliada da educação corporativa?

Por meio de uma ferramenta flexível de educação corporativa, há a possibilidade de a sua empresa se destacar ainda mais com essa estratégia. Como o próprio nome diz, trata-se de uma solução composta por diferentes partes que podem agrupar uma série de recursos e funcionalidades de diferentes maneiras.

Em uma plataforma flexível, há a oportunidade de a equipe criar experiências de aprendizado únicas e totalmente moldadas para as diferentes necessidades de uma empresa.

Na prática, estamos falando de eliminar as barreiras para a construção e distribuição do conhecimento dentro das organizações e oferecer uma infraestrutura capaz de empoderar as empresas para que elas decidam a melhor forma de fazer isso.

Neste conteúdo, você pôde entender um pouco mais sobre educação corporativa, seus diferenciais e dicas para começar a implementar. Como vimos, empresas que investem nesse tipo de estratégia conseguem não apenas o engajamento de colaboradores e colaboradoras, como também aumentam a produtividade da equipe, obtém melhores resultados e conseguem aprimorar o desenvolvimento das pessoas.

Por isso, o ideal é contar com a tecnologia como aliada, de modo que as ferramentas auxiliem a rotina das pessoas e possam otimizar a estratégia.

Ao longo do material, mencionamos sobre alguns tipos de treinamentos que podem ser incorporados, entre eles o de microlearning. Se você deseja saber um pouco mais sobre o tema, continue no blog e acompanhe um outro material que produzimos.