O recrutamento de profissionais qualificados tem sido um desafio para muitas empresas. Ainda que muitas pessoas estejam buscando novas oportunidades no mercado de trabalho, há uma grande dificuldade por parte dos recrutadores em encontrar profissionais com as habilidades que as empresas precisam.

Um relatório do Great Place to Work (GPTW) aponta que 48% das empresas identificam alguma lacuna de desenvolvimento de hard skills entre seus colaboradores. Por isso, investir em treinamento e desenvolvimento se tornou indispensável para que as organizações se diferenciem competitivamente.

Confira o conteúdo e entenda o que são as hard skills, alguns exemplos e como desenvolvê-las entre os colaboradores da sua equipe!

O que são hard skills?

As hard skills são habilidades técnicas utilizadas na execução de um trabalho específico. São elas que garantem que o profissional execute as tarefas do seu cargo ou escopo de atuação na empresa. Normalmente as hard skills vão estar especificadas na descrição de uma vaga de trabalho.

Essas habilidades técnicas podem ser desenvolvidas por meio da educação formal ou programas de treinamento, o que inclui faculdades, cursos, certificações e programas de educação corporativa. Além disso, a experiência na área também pode ser considerada uma forma de qualificação para essas competências.

Dessa forma, desenvolver as hard skills é indispensável para a melhora do desempenho dos profissionais no trabalho. Essas habilidades, inclusive, são mais tangíveis e costumam ser utilizadas em processos de recrutamento e seleção para avaliar os candidatos. Elas também podem ser consideradas para tomadas de decisão pelo líder ou time de RH — se um colaborador será promovido, por exemplo.

É importante ressaltar mais uma vez que as hard skills — ao contrário das soft skills — são específicas para cada escopo de atuação. Um analista de marketing, por exemplo, precisa de um conjunto de hard skills diferentes de um analista financeiro para desempenhar suas funções. As soft skills, por sua vez, são mais generalistas.

Qual a diferença entre hard skills e soft skills?

Como vimos, as hard skills são habilidades técnicas e específicas relacionadas ao escopo de trabalho de um profissional. Elas variam de acordo com a função que o colaborador ocupa na organização e as ferramentas e metodologias que utiliza em seu dia a dia.

As soft skills, por outro lado, são mais abrangentes e podem ser aplicadas em áreas diferentes por profissionais que ocupam cargos distintos. Elas são tão importantes quanto as hard skills, afinal, não basta o colaborador se destacar tecnicamente, ele também precisa ter um bom relacionamento interpessoal.

Em escala de importância, as hard e soft skills são complementares e devem ser desenvolvidas pelos profissionais da organização. Investindo em habilidades técnicas e interpessoais de forma conjunta, a equipe será capaz de melhorar o desempenho e impactar ainda mais nos resultados do negócio.

Qual a importância das hard skills?

Um dos principais desafios dos times de recrutamento e seleção é preencher as vagas em aberto. Esse desafio revela um paradoxo do mercado de trabalho atualmente: por um lado a maior parte das organizações pretende aumentar seu quadro de colaboradores, mas por outro enfrentam dificuldades para preencher as vagas com agilidade. Isso ocorre porque faltam talentos com as competências que as empresas precisam.

Segundo o Relatório Tendências para Gestão de Pessoas do Great Place to Work (GPTW), a falta de profissionais com qualificação para o cargo foi a principal dificuldade para o preenchimento de vagas pelas empresas. O relatório ainda aponta que 48% das empresas consultadas identificaram alguma lacuna nas habilidades técnicas das pessoas colaboradoras.

Isso indica que é indispensável que as organizações invistam ainda mais no treinamento e desenvolvimento dos seus colaboradores para que fortaleçam suas hard e soft skills e se tornem cada vez mais estratégicos para o negócio.

Você também pode gostar destes conteúdos:

👉 Soft skills: conheça as principais e como desenvolver na empresa

👉 Educação corporativa: o que é e por que investir?

👉 Experiência de aprendizagem corporativa: entenda a importância

Exemplos de hard skills

As hard skills podem variar bastante de acordo com a área de atuação de cada profissional. Proficiência em softwares específicos da área pode ser um exemplo desse tipo de habilidade. Além disso, as hard skills mais procuradas pelas empresas mudam rapidamente por conta da transformação digital acelerada que vivenciamos.

Segundo um levantamento realizado pelo LinkedIn em 2020, essas são as hard skills mais valorizadas pelas empresas:

  • Blockchain;
  • Computação em nuvem;
  • Raciocínio analítico;
  • Inteligência artificial;
  • UX design;
  • Inteligência de negócio;
  • Marketing de afiliados;
  • Vendas;
  • Ciência da computação;
  • Produção de vídeo.

Como vimos, as hard skills podem variar bastante. Esse levantamento, por exemplo, foi realizado antes da pandemia e não considera as transformações do mercado de trabalho pós-pandêmico. Ainda assim, é um termômetro que indica que as hard skills podem mudar rapidamente e que as organizações precisam monitorar constantemente o desenvolvimento dos seus colaboradores.

Como desenvolver hard skills?

A pandemia da Covid-19 inaugurou um período um complexo chamado de BANI, em que o caos é uma realidade permanente que as organizações e profissionais precisam lidar. Com as grandes mudanças que ocorreram, o conhecimento prévio dos colaboradores já não é mais suficiente para lidar com os novos desafios.

Todos os profissionais precisarão passar por um processo de adaptação e revisão dos seus conhecimentos, incluindo as hard skills. Saiba, então, a melhor forma de investir e desenvolver hard skills das pessoas colaboradoras da sua organização!

Levantamento das necessidades de treinamento

O Levantamento das Necessidades de Treinamento (LNT) é um conjunto de dados e informações que a equipe de RH reúne em conjunto com as lideranças para tomar decisões relacionadas ao treinamento da equipe. A partir do LNT, é possível definir quais são as competências prioritárias para a capacitação do time.

O LNT é, então, um diagnóstico para a estratégia de treinamento e desenvolvimento da organização. Para estruturá-lo, algumas análises devem ser realizadas, considerando desde os objetivos estratégicos do negócio até as especificidades de cada cargo na empresa.

Há ainda algumas práticas de gestão de desempenho que podem apoiar o LNT. Uma delas é a avaliação de desempenho, que fornece inputs para que o colaborador possa se desenvolver no trabalho. Os resultados da avaliação de desempenho podem gerar insights de quais habilidades, incluindo as hard skills, devem ser incluídas na estratégia de treinamento.

As one-on-ones, reuniões recorrentes entre os líderes e seus liderados, também fornecem insights. Um dos tópicos que devem ser trabalhados em uma one-on-one é o desenvolvimento do liderado. Assim, a partir dessa prática, as lideranças podem identificar quais são os aspectos mais importantes para a capacitação do time.

Plano de desenvolvimento individual

Um dos principais desafios para a estratégia de treinamento de uma organização é a definição de entregáveis claros, evitando que a capacitação seja despriorizada pelos colaboradores no dia a dia de trabalho. O Plano de Desenvolvimento Individual (PDI) facilita justamente a definição e o acompanhamento dos planos de ação de treinamento.

A partir dessa ferramenta, o líder pode definir planos de ação específicos para as habilidades que precisam ser desenvolvidas pelo liderado e acompanhá-los de perto. Com o PDI, o líder ainda consegue alinhar os objetivos de carreira de cada um dos liderados aos objetivos estratégicos do negócio.

O PDI é personalizável para a realidade e as necessidades de cada profissional e deve ser estruturado e monitorado em conjunto pelo líder e o liderado. Assim, o líder atua como um facilitador que vai fornecer insights, apoiar e acompanhar a evolução do liderado com base no que foi definido no PDI.

Plataforma de educação corporativa

Ao investir em uma plataforma de educação corporativa é possível escalar a estratégia de treinamento e desenvolvimento na empresa, pois com uma solução desse tipo os colaboradores têm um aprendizado mais fácil, intuitivo e centralizado.

Por meio dela, eles podem acessar de qualquer lugar conteúdos ministrados por especialistas de mercado. E, além disso, essa plataforma também pode ser alinhada ao PDI, garantindo que cada colaborador tenha uma experiência de aprendizagem personalizada e alinhada às suas prioridades de desenvolvimento. 

Imagine que um colaborador deseja assumir uma posição de liderança. Ao alinhar esse objetivo com o seu líder nas one-on-ones, eles definiram que ele precisa desenvolver mais suas habilidades de inteligência de negócio. Na plataforma, ele terá acesso a conteúdos que vão apoiá-lo nesse processo.

Neste conteúdo, você pode entender a importância das hard skills e conferir alguns exemplos desse tipo de habilidade. Como vimos, é fundamental que as organizações invistam em soluções e práticas que apoiem o desenvolvimento de competências — hard e soft skills — dos seus colaboradores.

Quer entender mais como uma plataforma de educação corporativa pode impulsionar o aprendizado e desenvolvimento da sua equipe? Confira as soluções de learning da Qulture.Rocks e UOL EdTech!